Centros de distribuição mais inteligentes

A inteligência artificial promete revolucionar os centros de distribuição. As operações serão cada vez mais ágeis e eficientes, por meio do uso das informações para realizar análises e otimizar os processos. O armazém do futuro vai se apoiar no desenvolvimento de softwares, na sua conexão com a internet das coisas e no uso de dados para promover uma análise sobre a empresa para aperfeiçoar os processos de supply chain.

A previsão é de que a gestão logística tenha menos interferência humana, com a conexão direta entre caminhões, empilhadeiras e paletes. O direcionamento de cada atividade será realizado por meio de sensores conectados aos equipamentos e softwares para gerenciamento das informações. Quer entender como a inteligência artificial e a análise de dados influenciam a operação logística? Acompanhe!


#REFLEXO DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NO ARMAZÉM DO FUTURO

O armazém do futuro deve funcionar de forma automatizada. As máquinas saberão como desenvolver os processos com base nas principais tendências de mercado e na inteligência aprimorada.

Os sistemas farão a coleta e interpretação de dados para permitir uma gestão logística mais precisa e segura. Haverá uma verdadeira integração entre as máquinas, sem qualquer problema de comunicação entre diferentes plataformas. E isso resultará em processos ágeis e eficientes.

No futuro, o armazém não será um espaço para coletar e guardar mercadorias em excesso. Essa prática gera custos e ociosidade às operações. A tendência é de que os ambientes se tornem uma passagem rápida de produtos de um local para outro.

O armazém do futuro funcionará como um espaço integrado e inteligente para controlar o inventário, integrar transporte e demais funções da gestão logística. Ele poderá, inclusive, proporcionar o envio direto de remessas aos fornecedores ou clientes.

A operação será controlada em tempo real e as decisões poderão mudar rapidamente conforme o registro e análise de dados indicarem.


#AMAZON COMO EXEMPLO DE GESTÃO LOGÍSTICA DO FUTURO

Talvez o conceito de inteligência artificial e automação pareçam uma cena de filme futurístico. Mas, a realidade é que o “futuro” já começou. O armazém da Amazon é um exemplo disso.

Ele conta com 45 mil robôs em 20 centros de distribuição. Eles são capazes de realizar o controle de estoques e movimentação de mercadorias. A companhia quer ir além. Ela já iniciou os testes com uso de drones para realizar a entrega de produtos aos clientes.

A Amazon pretende patentear um armazém flutuante, que será responsável por abastecer os drones e permitir a entrega ainda mais rápida dos produtos em pequenas cidades. Já imaginou como essa ideia pode revolucionar a cadeia logística?


#EMPRESAS REVOLUCIONAM ESTRATÉGIA DE SUPERMERCADO ONLINE

Algumas empresas já estão promovendo uma verdadeira mudança na forma de comprar e vender alimentos, através de armazéns automatizados

Isso exige que elas tenham controle total sobre a cadeia logística, pois alguns produtos devem ser vendidos e entregues no mesmo dia. Se um cliente faz um pedido online, por exemplo, os funcionários se encarregam de embalar os itens. Enquanto isso, robôs fazem o reabastecimento das prateleiras para garantir o máximo de agilidade.

Ao utilizar sistemas inteligentes, as companhias conseguem monitorar os itens que têm maior demanda e fazer um mapeamento deles no armazém. Dessa maneira, os produtos com maior procura ficam em locais de fácil alcance.


#USO DE DADOS PARA PROMOVER INTELIGÊNCIA

Os dados coletados e gerenciados nos sistemas robustos serão capazes de promover insights valiosos para os gestores. Por meio deles, será possível identificar onde há erros nos processos para levar mais agilidade às operações.

A gestão logística exigirá, cada vez mais, operações com redução de custos e aumento de eficiência. Isso irá gerar uma vantagem competitiva em relação aos concorrentes.

Os dados gerados pelas ferramentas permitirão que o gestor tenha um conhecimento maior sobre a própria empresa. Essas informações especializadas podem contribuir com o uso do business intelligence e nutrir as máquinas que usam a inteligência artificial. Em conjunto, essas soluções terão o importante papel de promover o crescimento do negócio e aperfeiçoar a gestão logística.

Com o uso de um software, será possível fazer a conexão das informações do fornecedor até o cliente, acompanhar as operações e o faturamento de pedidos. Essa gestão ágil de informações permitirá ter processos flexíveis e escaláveis.

Consequentemente, o uso de dados gerados pelo sistema proporcionará que o gestor consiga preparar o armazém para temporadas de alta demanda e evitar as interrupções na cadeia de suprimento.


E aí, está preparado para mudar a opeação logística e ter um
armazém do futuro? Saiba como a gestão de KPIs pode ajudar nessa transformação!

> Deixe seu comentário

Entre em contato
+55 47 3036 7800 (SC)
+55 11 3027 4197 (SP)
+56 2 2840 5916 (CHILE)
otimis@otimis.com

Newsletter

Gostaria de receber nossas novidades no seu email?