Problemas de estoque? Será que usa o WMS certo para atacado?

Acuracidade é uma palavra muito importante para toda o supply chain management. Saber a quantidade de produtos em estoque é uma obrigação diária. Mas, também é um desafio diário manter a contagem fiel à realidade. Isso porque não existe nada mais perturbador do que deixar de atender um cliente para ter que correr atrás de produtos perdidos.

Todo logístico já passou por uma situação como essa. E quando a perda acontece no atacado, o prejuízo é sempre maior, pois não se tratam de unidades, mas, de lotes inteiros de produtos que podem sumir na falta de organização e controle.

A perda raramente significa que alguém saiu com uma quantidade enorme de caixas do armazém debaixo do braço. Antes disso, ela aponta falhas na operação, principalmente na de picking. Se produtos são separados para entrega é preciso ter controle total dessa movimentação.

Mas, o que acontece se o seu WMS não faz o registro automático ou tem falhas na identificação RFID (Identificação por radiofrequência)?

Sim, a gestão de distribuição começa a falhar, toda a supply chain sofre e a empresa na qual o WMS é insuficiente, acaba perdendo dinheiro. Quando é possível ter um WMS que controla o armazenamento por completo, cuidando da paletização, dos produtos em prateleiras e de toda organização de estoque, fica mais fácil descobrir em qual processo está o erro operacional.

Para evitar que o dia do logístico comece na busca por solucionar problemas na gestão de distribuição e estoque, todos os movimentos dos armazéns e CDs precisam estar conectados. Por isso, entenda a seguir quatro momentos em que um WMS completo e robusto pode ser crucial para o atacado.


#1 NO CONTROLE DE TODAS AS ETAPAS

A movimentação nos armazéns de atacado é sempre grande e constante. Isso significa que o fluxo das mercadorias precisa acontecer de modo harmonioso. Tanto o outbound quanto o inbound dependem de rotas que não se cruzem, para que também não causem interrupções na operação.

A meta da gestão de distribuição é sempre entregar a quantidade certa, no local correto e na hora combinada. Mas, se o lote a ser distribuído ainda não aparece no sistema, fica impossível fazer a separação e a expedição. Isso pode ocorrer, ou pelo atraso no fluxo de inbound ou, pelo delay na atualização de status.

Se ainda existem ferramentas diferentes para controle de operações que devem funcionar em sinergia, já passou da hora do armazém operar com uma única solução que abarque todos os processos. Existem no mercado sistemas que cumprem todas as etapas da gestão do armazém de atacado.

Além de realizar outras funções adaptáveis a cada negócio, com suas próprias regras e necessidades, um WMS completo controla:

 

  • Escalonamento de tarefas
  • Recebimento
  • Ressuprimento
  • Regras de armazenagem
  • Separação
  • Conferência
  • Carregamento
  • Devoluções
  • Cross-docking
  • Montagem de cargas
  • Expedição
  • Inventário rotativo
  • Gestão de contratos
  • Distribuição multicanal

 



#2 GESTÃO UNIFICADA DA CADEIA DE DISTRIBUIÇÃO

A gestão unificada do armazém feita por um sistema WMS completo pode se estender a toda a cadeia de distribuição do seu atacado. Isso significa que os movimentos de um CD na Amazônia conseguem estar em sinergia com as operações de outra planta do extremo sul do país, por exemplo.

Já pensou em assistir as operações do seu atacado no Brasil inteiro usando um único sistema?

Com essa lógica de gestão unificada é possível. Não é somente na hora das formalidades, como a prestação de contas ao Fisco que a sua empresa deve responder como se fosse uma só. Nas operações logísticas isso também precisa ocorrer. Cada colaborador – e até mesmo você e seus clientes – precisam enxergar a cultura profissional como um valor agregado ao produto.

Um armazém que roda bem faz da gestão de distribuição uma parte valiosa das mercadorias, pois a entrega bem feita gera satisfação!

#3 PRESENÇA EM TODO TERRITÓRIO BRASILEIRO

Se bem gerenciado, o atacado é um dos negócios capazes de crescer a passos largos, a ponto de dominar o território brasileiro. Mas, quem não controla o próprio armazém não consegue pensar na expansão territorial como algo vantajoso – ainda mais em um país continental que investe pouco em infraestrutura.

A grande sacada está na adoção do WMS certo para a conquista do crescimento em larga escala. Isso não significa que as estradas ficarão melhores, que a malha ferroviária será diversificada ou, que o transporte aéreo se tornará milagrosamente mais barato. Quer dizer que a sua empresa terá condições de compensar falhas externas com a organização de processos internos.

Atrasos pela falta de infraestrutura podem ser compensados pela alta eficiência das operações. Desse modo, você garante uma entrega mais rápida porque os processos estão bem definidos entre todos os armazéns e CDs.

#4 REDUÇÃO DE NÍVEIS DE ESTOQUE PARA MAIS LIQUIDEZ

A sua empresa faz o inventário rotativo apenas uma vez por ano? Cuidado, pois você pode estar perdendo dinheiro.

É altamente recomendável que o inventário rotativo tenha uma frequência, pelo menos, mensal. Se a solução WMS que a sua empresa tem não ajuda no desenvolvimento de um processo de cuidado do inventário, está na hora de fazer a troca.

Ter controle e acuracidade é o mínimo que se espera para o bom funcionamento do armazém atacadista. Mas, ainda é possível estar um passo além e ter lucro com a gestão de estoque. Ao otimizar os níveis de estocagem com o uso de uma solução avançada, o atacado move grandes volumes de modo eficiente, permitindo reduzir o número de produtos adquiridos.

Sabe aquela quantidade que você compra a mais para ter uma folga nas operações e evitar rupturas diante de sazonalidades? Ela é cada vez menos necessária com um WMS que oferece Business Intelligence (BI). Assim, você controla o nível de estoque sem precisar de excedentes, garantindo liquidez e menor vulnerabilidade com mercadorias paradas.

O QUE GRANDES ATACADISTAS PROCURAM NO WMS

Você já se perguntou o que um grande atacadista avalia como qualidades principais de um WMS? Todos esses momentos listados são cruciais, mas existem ainda três características valorizadas por atacadistas que estão presentes em todo Brasil. São elas:

  1. A posição do software no mercado: avalia-se como o sistema evoluiu e como planeja sua continuidade no mercado
  2. A estrutura e solidez do fornecedor: busca-se uma parceria de longo prazo, pronta para mudanças estratégicas
  3. A base tecnológica: analisa-se a capacidade do fornecedor de oferecer grandes melhorias sem impactos negativos para as operações.

O seu atacado tem um WMS com todas essas características, que ajuda a gestão de distribuição em todos os momentos listados aqui neste post? Talvez seja esse o diferencial que falta para que sua empresa seja destaque em toda supply chain.

 

> Deixe seu comentário

Entre em contato
+55 47 3036 7800 (SC)
+55 11 3027 4197 (SP)
+56 2 2840 5916 (CHILE)
otimis@otimis.com

Newsletter

Gostaria de receber nossas novidades no seu email?