Sistema de gerenciamento de armazém: um auxílio nos processos tributários

O Brasil é o país que possui a 14ª maior carga tributária no mundo, segundo ranking do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), e o que tem menos contrapartida em serviços públicos de qualidade, ficando em último lugar entre os 30 países pesquisados. E como se não bastasse, ainda tem o impostômetro, índice da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que passou de R$ 1,7 trilhões em 2017, com previsão de encerrar o ano a R$ 2,170 trilhões.

Essa carga tributária representa um grande obstáculo também para os processos logísticos. Utilizar um Sistema de Gerenciamento de Armazém (WMS na sigla em inglês) pode ajudar a vencer as fronteiras tributárias que são um grande obstáculo nesse setor.

 

UMA AVALANCHE DE IMPOSTOS
O transporte de cargas, por exemplo, pode estar sujeito à incidência do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) quando é realizado dentro do município. Já o Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Prestação de Serviços (ICMS), é aplicado quando o deslocamento é intermunicipal ou interestadual e a alíquota recolhida pelo estado, onde o transporte varia de 12% a 18%.

Fazem parte também desse ecossistema as Notas Fiscais Eletrônicas (NFes) declaradas e reunidas em Conhecimentos de Transporte Eletrônico (CTes) para cada carga, somadas aos Manifestos Eletrônicos de Documentos Fiscais (MDFes) emitidas pela transportadora. Como todos esses impostos podem variar em cada estado, já pensou quais poderiam ser as consequências caso erros aconteçam?

A carga pode atrasar até a regulamentação da documentação ou, até mesmo, ser apreendida. Para evitar que isso aconteça, uma saída é automatizar os processos logísticos com a utilização de um sistema de gerenciamento de armazém.

 
CONHEÇA AS FACILIDADES DESSA AUTOMATIZAÇÃO:

#1 Eficiência operacional
Utilizar um sistema de gerenciamento de pátio integrado ao WMS facilita o controle da entrada e saída das transportadoras na sua empresa. Com ele, você terá de forma simples, rápida e intuitiva a previsão de chegada e de saída de cada carga, além de conseguir comunicar atrasos.

Reformular os processos caso imprevistos aconteçam também é outra grande vantagem. Tudo isso garante a máxima eficiência operacional e maior controle das demandas.

 #2 Conhecer as fronteiras fiscais brasileiras
Uma forma de conhecer as fronteiras fiscais pode estar na análise de dados armazenados no WMS. Ao gerar relatórios e explorar dashboards é possível conhecer profundamente a empresa.

Todo esse conhecimento pode ser utilizado em favor do negócio. Analisar o histórico de entregas realizadas anteriormente ajuda a pensar em novas rotas de entrega da sua empresa, evitando caminhos e horários que registrem menos trânsito. O mesmo vale para programar a chegada dos fornecedores até você.

 #3 Ter a elisão fiscal como aliada
Elisão fiscal é seguir as melhores práticas de gestão tributária, fazendo uso de permissões ou omissões na lei para reduzir o peso dos impostos sem cometer qualquer ilegalidade. Ela é diferente da evasão fiscal (chamada popularmente de sonegação de impostos), em que se deixa de recolher um tributo ao Governo.

Também chamada de planejamento tributário, a elisão fiscal não é uma área que se deva desbravar sozinho. Ela depende da consultoria de um contador. O sistema é complexo, mas deixa brechas para que você atue na legalidade e ainda tenha vantagens fiscais.

Enquanto as práticas de elisão são adotadas antes da ocorrência do fato gerador da obrigação tributária, a sonegação costuma ocorrer depois, como ao não declarar venda ou não emitir nota fiscal – ato comum na prática de caixa 2.

 #4 Ajudar na contabilidade
A contabilidade que cerca estoques e centros de distribuição é um verdadeiro pesadelo. Imagine se o cálculo de um imposto estiver incorreto em uma planilha de controle e se, mensalmente, ele é recolhido de forma errada com uma porcentagem maior ou menor que a devida. Os resultados serão problemas com a Receita Federal e a realização de um planejamento financeiro deficiente, baseado em informações que falham com a verdade.

O cálculo correto dos tributos é de suma importância para a empresa. Além da complicação com o Governo e o prejuízo econômico, todos os documentos de controle da corporação deverão ser revisados e corrigidos, reduzindo a produtividade por conta do retrabalho.   


Um WMS é capaz de conectar-se a sistemas ERP (
Enterprise Resource Planning), enviando para eles todas as informações dos produtos que entraram no estoque do armazém. O ERP então realiza, com base nos registros de bancos de dados do WMS, a gestão de processos fiscais como recolhimento dos impostos e a emissão dos livros fiscais relativos à prestação de serviços.

O escritório de contabilidade também é beneficiado. Um correto cadastro dos itens e seus impostos facilita o trabalho do contador que, desde o início, tem em mãos os documentos fiscais corretos.

Com o uso de softwares de WMS, fica ainda mais fácil entregar informações acuradas ao ERP ou outros softwares de gestão que controlam a área fiscal. Que tal entrar em contato conosco e conhecer mais sobre uma solução capaz de ajudar a organizar as obrigações tributárias de logística da sua empresa?

 

> Deixe seu comentário

Entre em contato
+55 47 3036 7800 (SC)
+55 11 3027 4197 (SP)
+56 2 2840 5916 (CHILE)
otimis@otimis.com

Newsletter

Gostaria de receber nossas novidades no seu email?