Armazém do Futuro e as principais tendências de Warehouse

A automatização é indispensável para as organizações que esperam se manter competitivas. As empresas de grande porte têm utilizado software para obter relatórios e concluir pedidos com o máximo de eficiência. Por meio da tecnologia e acesso remoto elas estão conseguindo acompanhar, em tempo real, a execução das operações nos armazéns. 

A disponibilidade de informações têm ajudado os gestores na tomada de decisões. Com o acesso à internet e ao banco de dados, os sistemas de última geração estão ajudando os armazéns a reduzir danos, evitando incorreções e otimizando processos dentro da cadeia de suprimentos 

Veja, nesse post, como a IoT está ajudando o armazém do futuro e quais as tendências de Warehouse. Confira!

 

IOT WAREHOUSE
O setor tecnológico não para de crescer. Os profissionais precisam estar preparados e devem contar com o suporte de sistemas logísticos para ajudá-los nessa transição. Com o uso de software específicos e se mantendo conectado às novidades de mercado, os gestores conseguem estudar estratégias para fazer a produtividade crescer.

Como estamos em uma era onde tudo está conectado, é necessário que todos os setores (equipamentos, meios de produção e dados) também estejam interligados entre si.

A IoT, Internet of Things (Internet das Coisas) tem possibilitado isso. 

Com dispositivos e objetos físicos capazes de serem detectados, o armazém do futuro têm conseguido controlar os processos remotamente por meio da infraestrutura de rede e automação

Esse avanço têm fornecido uma série de possibilidades aos negócios, integrando dispositivos no mundo real, por meio de software e hardware. Cada vez mais é possível realizar a análise de tendências e saber distinguir quais aquelas que são ou não favoráveis para modernização.

Um exemplo de tecnologia capaz de agilizar os processos de visualização de indicadores é o Bi-Pulse. Quando o sistema é integrado ao WMS, ele consegue apresentar informações importantíssimas para melhorar a gestão logística das empresas. 

Essa solução não só permite uma visibilidade flexível sobre os estoques, como auxilia os usuários na compreensão das informações, das oportunidades e dos cenários de mercado.

Legal, não é mesmo?

 

ADOTANDO IOT NOS ARMAZÉNS
A gigante de logística alemã DHL Supply Chain, já vêm transformando a IoT em realidade, dentro do ambiente de warehouse. Isso está mudando a maneira como coletam, analisam e usam dados, assim como a forma de trabalhar em sites”.

As grandes empresas sabem que adotar essa tecnologia já é fundamental para sua permanência. Quanto maior a quantidade de consumidores que conseguirem atender, com o máximo de eficiência e menor tempo, maiores são as chances delas expandirem seus mercados. 

As organizações não precisam concentrar e nem direcionar seus investimentos apenas à um caminho. Implantando a IoT junto ao armazém do futuro, as marcas vão ter capacidade suficiente para atender clientes de qualquer parte do mundo, sem perder a espera em obter produtos de qualidade, em menor tempo — com entrega amanhã ou no final do dia.

Como as expectativas dos consumidores estão mudando, a disputa por uma fatia de mercado está se tornando ainda mais intensa. As cadeias de suprimentos estão complexas e acelerar os ciclos de produção e otimizar o uso de ativos podem ser maneiras seguras de se manter competitivo entre as concorrentes. 

Fique atento!

 

Quer saber mais sobre como a IoT ajuda nos processos logísticos e gerenciamento de armazéns? Então, clique aqui

 


TENDÊNCIAS DE WAREHOUSE

Em maio de 2016, a A&S International publicou uma entrevista realizada com quatro dos grandes especialistas na tecnologia: Asaf Adi (senior gerente, IoT e Wearables, IBM) , Douglas Bellin (líder global de indústrias de manufatura e energia da Cisco), John Bermudez (vice-presidente de gerenciamento de produtos da Infor) e Daniel Dombach (Diretor de Soluções na Indústria de EMEA na Zebra Technologies).

Listamos algumas tendências que já podem ser acompanhadas pelo mundo todo e grandes empresas já estão colocando em prática. Acompanhe, abaixo, as principais que podem inspirar você a trazer mais tecnologia para a sua operação:

 

#1. Inventário e visibilidade de ativos

A visibilidade dos estoques (capacidade de saber onde cada item está localizado e para onde se destina), é o principal problema dos gestores logísticos e dos armazéns. A sua plataforma logística para a cadeia de suprimentos deve fornecer visibilidade total e em tempo real para rastrear o estoque até os clientes.

Ou seja, a IoT vai permitir visibilidade, em tempo real, onde cada ativo está localizado. No entanto, a transparência no gerenciamento da cadeia de suprimentos vai além do simples rastreamento. Ela quer levar o produto correto aos cliente certo, no menor tempo possível. 

 

#2. Envolvendo Trabalhadores

Além de rastrear estoques e ativos, outra vantagem da loT está na capacidade de melhorar o desempenho operacional dos colaboradores. Sendo comum a contratação de trabalhadores em períodos de alta demanda, a tecnologia exata e de fácil manuseio ajuda para não ocorrer falhas ou qualquer tipo de atrasos durante a distribuição de pedidos. 

 

#3. Setor de logística em crescimento

A logística deverá crescer nos próximos anos, e isso vai ocorrer por conta do aumento da economia, o avanço da automação e a terceirização de serviços. As tecnologias modernas e a utilização de IoT dentro dos setores serão cada vez mais importantes para otimizar a cadeia de suprimentos e essa será uma ótima oportunidade para aqueles que buscam o crescimento.  

É preciso inovar, impedindo que o sucesso dos negócios acabe ficando em segundo plano.

 

#4.Tecnologia Utilizável

Os novos dispositivos trarão mais visibilidade ao gestor, melhorando o gerenciamento de rotas, mostrando aos usuários onde ir, escolhendo e embalando produtos por meio da verificação de códigos de barras ou leituras de RFlD, para garantir a gestão correta de pedidos. 

As informações repassadas vão poder também ser usadas para a segurança dos funcionários, minimizando custos relacionados à acidentes ou qualquer perda de produtividade.  Por meio dos sensores vai ser possível monitorar a condição física dos trabalhadores, como pulsação, temperatura corporal e até mesmo nível de hidratação.  

Os dispositivos podem incluir também o monitoramento ao meio ambiente, medindo o nível de ruídos e identificando riscos, como quando um colaborador sem EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) estiver próximo à uma máquina. Ele pode ainda enviar relatórios de lesões e até mesmo alertar socorristas, caso o trabalhador estiver desmaiado. 

 

#5. Infraestrutura e ensino

Os armazéns que quiserem aproveitar os benefícios da IoT precisarão ter uma infraestrutura de TI adequada e robusta, além de uma equipe qualificada para gerenciar todos os processos.

Conforme Bellin afirmou em entrevista, “Não se trata apenas de rastrear pessoas ou processos, mas de gerenciar eficiência e ajudar que funcionários possam entender a execução. Muitas pessoas não entendem que investir em ensino pode ajudar o seu negócio avançar, então a educação básica é sim um obstáculo.”

 


Como você pode ver, a maior visibilidade dos estoques, a prevenção na segurança do trabalhador, as informações de cada item e o rastreamento dos movimentos feitos pelos funcionários e máquinas, vai ajudar e muito as empresas que esperam crescer no mercado. 

 

Gostou do conteúdo? A sua empresa já está preparada para adequar os processos logísticos à automação? Deixe o seu comentário abaixo e continue então lendo o nosso blog! 

> Deixe seu comentário

Entre em contato
+55 47 3036 7800 (SC)
+55 11 3027 4197 (SP)
+56 2 2840 5916 (CHILE)
otimis@otimis.com

Newsletter

Gostaria de receber nossas novidades no seu email?