Segundo pesquisa conduzida pela Tractica, estima-se que o investimento de robôs no setor logístico atinja US$ 22,4 bi até o final do ano que vem. A cifra chama a atenção, mas a automação logística não acontece por acaso. Para se ter uma ideia, um estudo realizado pelo BCG (Boston Consulting Group) constatou que a combinação de robótica com outras tecnologias, aprimoramentos de processos e alterações no layout estrutural pode gerar economia de até 40% em centros de distribuição.

Além da economia, sabemos também que gerentes da cadeia de suprimentos do armazém do futuro precisam buscar por soluções que aumentem a produtividade da sua força de trabalho (como é o que fazem os sistemas de gerenciamento de armazéns - WMS). Para entender melhor desse panorama, veja a seguir os principais aspectos e benefícios do uso de robôs na cadeia de suprimentos, bem como a importância da integração entre tecnologia robótica e WMS.

Benefícios da robótica para a cadeia de suprimentos

Quando tratamos de automação logística e trazemos à tona a utilização de robôs autônomos, para algumas pessoas a discussão gira em torno da substituição de humanos pela tecnologia. Todavia, entenda que se trata mais de uma colaboração, pois como disse Melonee Wise, CEO da Fetch Robotics: “robôs não pegam empregos, pegam tarefas”.

Assim, a cadeia de suprimentos se beneficia de uma robótica que torna o trabalho humano mais eficiente. Como exemplo, os robôs podem assumir tarefas repetitivas enquanto pessoas são alocadas a papéis mais estratégicos. Dessa maneira, aumentando produtividade e eficiência nos armazéns.

Conforme disse Adrian Kumar (DHL), “ao implantar robôs para trabalhar em conjunto com os seres humanos, podemos garantir que nossas linhas de produção estejam se adaptando às mudanças e operando com mais eficiência o ano todo".

Além disso, e pensando no acelerado ecossistema do e-commerce, a automação logística ajuda gerentes a atender mais rapidamente às demandas de vendas diretas ao consumidor. Afinal, com prazos de entregas cada vez mais curtos e maior exigência, toda a cadeia de suprimentos precisa ter um melhor desempenho. 

Somado ao que foi mencionado até aqui, existe a crescente demanda por mão de obra nos centros de distribuição. Aliado às necessidades de reduzir custos, isso força gerentes, coordenadores e diretores de logística a encontrar novas maneiras de melhorar o rendimento dos colaboradores de forma econômica, ao mesmo tempo em que reduzem a margem de erro humano nos processos.

Em suma, os robôs fornecem os meios para responder mais prontamente às necessidades dos clientes, executar tarefas que podem representar perigo às pessoas, reduzir custos, trabalhar continuamente e melhorar o desempenho das empresas. 

Alguns dados

Apesar de ser um assunto pouco discutido no Brasil, a automação logística com a ajuda da robótica já vem sendo amplamente abordada em outros países. Para entender ainda mais sobre os benefícios da robotização, o estudo do BCG que comentamos no início (intitulado “Advanced Robotics in the Factory of the Future”), conduzido com mais de 1.300 executivos e gerentes de operações de vários setores, obteve alguns dados interessantes:

  • 52% dos participantes esperam que a robótica avançada se torne um dos mais importantes impulsionadores da melhoria da produtividade até 2025;
  • Mais de 40% dos respondentes classificam a robótica como um fator de produtividade em produção e logística;
  • Para aproximadamente 70% há o desejo de que a robótica se torne um fator de produtividade muito importante em produção e logística até 2025.


Mas para que a robótica possa realmente trazer benefícios, não podemos esquecer que a cadeia logística deve contar com
processos, os quais são muito melhores executados e controlados com um WMS.

 

Automação logística (robótica) e o uso de sistemas de gerenciamento de armazéns 

Além dos robôs autônomos, a indústria 4.0 requer um software WMS na cadeia de suprimentos, pois um sistema de gerenciamento de armazéns robusto ajuda gestores a fiscalizar e coordenar tarefas executadas por pessoas e máquinas. Enquanto uma força de trabalho humana passa a ter função mais estratégica e direciona a tecnologia robótica na execução de atividades, podem ser os robôs que realizarão determinadas funções. 

Para controle de desempenho nos armazéns, é uma solução WMS que permite coordenadores acompanharem KPIs para tomada de decisão na gestão logística, seja no que tange à automação por robôs ou às tarefas realizadas por colaboradores. Além disso, a utilização de um sistema de gestão de armazém passa a ser fundamental para o gerenciamento de todo o fluxo de trabalho.

Por exemplo, como explicamos neste post, um dos benefícios do WMS é o de possibilitar o agendamento e o gerenciamento de docas, mão de obra e equipamentos para a realização das tarefas. Isso significa que o coordenador de logística terá acesso a informações valiosas sobre processos e como otimizar a aplicação de recursos (incluindo aqui, os recursos robóticos).

Igualmente importante é o fato de que na automação logística os robôs autônomos também precisam ter suas atividades organizadas dentro do armazém. Um WMS eficiente consegue ajudar o operador logístico a fazer a organização adotando critérios como data, rotatividade, proximidade e outros. 

Portanto, WMS e tecnologia robótica, juntos, conseguem tornar a gestão das operações de armazéns e centros de distribuição ainda mais automatizada, otimizada e com um fluxo operacional mais eficiente.

Caso queira entender melhor sobre a importância de um sistema de gerenciamento de armazéns para o controle dos robôs autônomos nos processos logísticos, entre em contato com um de nossos especialistas

Leia também > Gartner aponta HighJump como WMS líder de mercado

> Deixe seu comentário

Entre em contato
+55 47 3036 7800 (SC)
+55 11 3027 4197 (SP)
+56 2 2840 5916 (CHILE)
otimis@otimis.com

Newsletter

Gostaria de receber nossas novidades no seu email?