Conheça as soluções logísticas específicas para o segmento de alimentos e bebidas

Em um armazém de grande volume e velocidade como o de alimentos e bebidas, otimizar a equação tempo de busca do produto, espaço, controle de FEFO (que determina o tipo de movimentação de estoque) reduzindo perdas por shelf-life e ainda manter a acuracidade no estoque, é um desafio para as operações de armazenagem. Não é mesmo?

De acordo o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio, o setor de alimentos e bebidas sofreu recuo de 7,9% em julho de 2016, quando comparado ao mesmo período de 2015. Como consequência deste recuo, é normal as empresas buscarem mais ainda a redução de custos, aonde a logística tem representado um papel cada vez mais importante.

Essa necessidade de gerenciar melhor as operações de armazenagem, aumentar a velocidade e o rendimento estão levando as empresas de alimentos e bebidas a implementar e atualizar os sistemas de gerenciamento, de forma que atendam por completo às exigências do processo da operação. Um Sistema de Gerenciamento de Armazém, ou WMS robusto oferece muitas vantagens competitivas para essas empresas.

Confira 7 processos vantajosos do WMS para o segmento de alimentos e bebidas:

#1 Controle de Classes, Zonas de Trabalho e Áreas de Separação
O primeiro passo nas operações de armazenagem é a configuração básica do armazém, fazendo divisões lógicas que refletem em uma organização física eficiente. O WMS da HighJump, por exemplo, possui alguns tipos de configurações que auxiliam em um melhor gerenciamento do CD (Centro de Distribuição). Confira:

- Classes de Armazenagem: o WMS separa por classes de armazenagem, como locais secos, refrigerado, congelados.

- Zonas de Trabalho: essa configuração direciona o operador à endereços fisicamente alcançáveis. Dessa forma, não há necessidade de utilizar um equipamento que só alcance o quinto andar de um porta palete ser designado a pegar um produto do sétimo andar.

- Àrea de Separação: o sistema também permite divisões de áreas de separação que limitam a área de atuação de um operador (por rua, por exemplo).

#2 Controle de Lote e Data de Expiração
O controle total de lotes e datas de expiração é totalmente necessário, não somente para reduzir a perda de produtos por vencimento, mas também para ter rastreabilidade total dos lotes dos produtos. Isso é importante durante todo o ciclo de vida dentro do armazém, pois é possível saber quem vai receber ou quando enviou, permitindo inclusive fazer o recall de um lote específico.

#3 Controle de FIFO e FEFO
Em um armazém de alimentos e bebidas, há o controle de FIFO, FEFO, LIFO ou LEFO, metodologias que se referem à organização do armazém. Entenda:

- FIFO, em inglês, “First In, First Out”, significa “Primeiro que entra, Primeiro que sai”;

- FEFO, “First Expired, First Out” “Primeiro que Vence, Primeiro que Sai”;

- LIFO  “Last In, First Out”, “Último que Entra é o Primeiro que Sai”)

Este controle é essencial em função dos alto volumes e a utilização de estruturas de armazenagem como Drive-Ins ou mesmo endereços blocados.

 Como resultado é comum as empresas não misturarem lotes e datas de expiração diferentes em um mesmo endereço para obedecer o FIFO ou FEFO, causando outro problema que é o baixo índice de ocupação dos endereços do armazém, um dos principais indicadores logísticos de uma operação de armazenagem. Por isso as regras de armazenagem, ressuprimento e separação tem de ser flexíveis e adaptáveis ao seu negócio.

#4 Regras de Separação
Um sistema WMS traz regras de separação flexíveis para atender as maiores dificuldades do seu negócio. Se o seu problema é espaço, é melhor separar o produto em mais de um endereço e consumir todo o estoque do endereço deixando o mesmo livre, já se o seu problema é produtividade vale mais a pena priorizar endereços que tenham a quantidade necessária para a separação.

#5 Tarefas e Caminho de Separação
O WMS irá guiar o operador, nas operações de armazenagem, para as tarefas de maior prioridade, além de seguir um fluxo pelo melhor caminho a ser percorrido, tirando estas decisões do colaborador. Desta forma, o sistema de gerenciamento de armazéns permitem aos gerentes um controle maior do estoque e do que acontece no armazém.

#6 Abastecimento de Linha
Neste ramo é comum encontrarmos Centros de Distribuição integrados à fábrica, o que resulta na necessidade de receber produtos e também de enviar insumos para abastecer a linha. É importante que seu WMS esteja preparado com estas funcionalidades para melhor operações de armazenagem.

#7 Integração com RFID
Com o avanço da tecnologia RFID (tecnologia por rádio frequência), oferecida pelo WMS HighJump, a sua utilização para melhorar a produtividade dos processos, eliminando etapas de interação com coletor de dados é cada vez mais iminente.

 Além de fornecer os elementos essenciais de monitoramento e rastreamento do armazém na cadeia de alimentos, o WMS fornece esses sete benefícios que podem aumentar a produtividade e permitir a responsabilização individual. Incrível, não é?

 Com uma combinação eficaz de tecnologia de armazém avançada e envolvimento de todos os colaboradores, os armazéns de alimentos estão se tornando centros de eficiência e produtividade. Se os protocolos do sistema forem seguidos, o segmento de alimentos e bebidas ficará praticamente à prova de erros — um resultado positivo para o futuro da segurança alimentar e para que o consumidor confie mais nos processos e produtos.

> Deixe seu comentário

Entre em contato
+55 47 3036 7800 (SC)
+55 11 3027 4197 (SP)
+56 2 2840 5916 (CHILE)
otimis@otimis.com

Newsletter

Gostaria de receber nossas novidades no seu email?