Omnichannel e Drones: Confira as principais tendências da logística

Nos últimos anos, muitas tendências começaram a remodelar as estratégias da cadeia de suprimentos. Omnichannel tornou-se um ponto de discussão e os sistemas de gerenciamento tornaram-se ainda mais robustos. Tudo isso trouxe mais eficiência na distribuição, na qualidade do produto que o cliente compra, além de agregar visibilidade e transparência aos procedimentos dentro do Centro de Distribuição (CD).

O segredo desta tecnologia é a flexibilidade que oferece aos gestores logísticos no rastreamento e monitoramento de toda a cadeia. Os gerentes de suprimentos, por exemplo, podem fazer ajustes que evitam interrupções, trazendo satisfação aos operadores e ao próprio cliente.

O fato é que novas tendências da cadeia de suprimentos estão surgindo com mais frequência. E agora, a pergunta a ser feita é: o que esperar para os próximos anos? Embora haja uma infinidade de respostas, confira algumas novidades que já estão fazendo as organizações repensarem suas estratégias.

 

1 Omnichannel

 

A tecnologia omnichannel é a integração de todos os canais de venda, que fornece uma experiência de compra única para o consumidor. A estratégia por trás do omnichannel, são os novos recursos para os pedidos processados, apontando a melhor forma da entrega de mercadorias, no prazo certo de acordo com o canal que o cliente optou por realizar a compra.

 

2 Same day Delivery

 

A pressão por entregas no mesmo dia, também conhecida como entrega "D+0" é um dos grandes objetivos de todo e-commerce. Nos Estados Unidos, por exemplo, grandes empresas varejistas já exploram a opção de entrega no mesmo dia para cumprir suas encomendas online de lojas físicas.

Hoje, os varejistas estão cortejando seus clientes não somente com promoções, mas também com entrega no mesmo dia da compra. O segredo em atender esse pedido é ter os produtos armazenados perto de destino. Isso depende de uma organização omnichannel que mantenha os estoques sempre integrados e com total visibilidade.

 

3 Drones

 

A utilização de drones para executar entregas a partir de caminhões é uma grande tendência. Imagine um caminhão seguir uma rota, o entregador parar para fazer uma entrega e vários drones saírem do caminhão para fazer entregas num raio ao redor do caminhão e sua rota. Incrível, não é?

Já existem testes realizados em que um drone foi equipado com câmeras para escanear itens estocados nos corredores de um armazém. O movimento foi o mesmo feito por uma pessoa, mas utilizando uma empilhadeira para fazer a inspeção do estoque.

Este modelo necessita de algoritmos complexos de construção e rotas, plano de falhas, além de necessidade de adequação regulatória de cada localidade.

 

4 Internet of Things

 

A Internet das Coisas (IoT) é a automação de decisão onde os objetos geram demandas, encurtando os tempos de ação e reação e trazendo novos desafios à logística, que terá de atender a essa nova velocidade. A proporção do investimento no Brasil, de acordo com um levantamento feito pelo QuISI (Qualcomm de Inovação da Sociedade) 2016, é de apenas 0,76% do PIB (Produto Interno Bruto).

Quando alguém menciona a IoT, a maioria das pessoas pensa em produtos eletrônicos ou wearables — os tipos de tecnologias que estão direcionando a adoção de um estilo de vida de consumidor "inteligente" altamente personalizado. Mas seu impacto na cadeia de suprimentos vai muito além disso. A IoT é capaz de ajudar uma empresa a operacionalizar mais rapidamente ou com menos pessoas envolvidas. Além disso, também pode ser uma força transformadora na cadeia de suprimentos, abrindo novas possibilidades não apenas para melhorar a eficiência, mas também para uma maior diferenciação e inovação.

 

5 Warehouse Robotics

 

Você já ouviu falar sobre a utilização de robôs em armazéns? Muitas das tarefas que são vitais para as cadeias de abastecimento são simples e práticas. O movimento de produtos de uma área a outra no armazém, por exemplo, é algo que precisa ser feito, mas é uma tarefa repetitiva e que requer pouco esforço e habilidade, podendo se tornar massante para o operador.

Para mudar esse processo, algumas empresas automatizaram seus sistemas de armazém com o objetivo de reduzir os custos de mão de obra, melhorando a eficiência e reduzindo os erros, como é o caso da empresa Amazon Robotics, que fabrica sistemas de realização robótica móvel.

A empresa implementou o sistema Kiva em vários de seus armazéns. Este sistema consiste em robôs movendo pilhas ou caixas individuais em todos os armazéns sem a necessidade de entrada humana. Isso melhorou consideravelmente a sua eficiência, bem como permitiu-lhes tornar-se mais rentável, mantendo a sua força de trabalho a um bom nível.

É preciso estar atento à questão dos riscos envolvidos e dos custos da adoção de novas tecnologias, afinal, pode ser uma "moda passageira" e gerar um rombo no orçamento se não for um investimento bem pensado e planejado. Por isso, é importante conhecer e acompanhar as tendências, sempre considerando as particularidades do seu negócio e o desejo de seus clientes.

Já sabe como você deve se preparar para essas tendências em sua própria organização? É hora de fazer sua pesquisa para aumentar sua compreensão sobre a tecnologia e os benefícios que pode trazer à organização. O próximo passo? Seria considerar testar sistemas omnichannel dentro da empresa. É importante permanecer no topo dessas tendências e transformar suas operações em momentos tecnológicos.

> Deixe seu comentário

Entre em contato
+55 47 3036 7800 (SC)
+55 11 3027 4197 (SP)
+56 2 2840 5916 (CHILE)
otimis@otimis.com

Newsletter

Gostaria de receber nossas novidades no seu email?