Pesquisa mostra desafios, sucessos e tendências na automação de armazéns

O armazém do futuro possui um sistema de gestão completo para a logística. Isso significa que gestores contam com unificação das informações, métodos de estoques, dados e funções, como também com um gerenciamento facilitado de equipamentos, pessoas e espaço físico.

Em linhas gerais, o parágrafo acima descreve a importância de um sistema de gerenciamento de armazém (WMS), afinal, com a integração de sistemas e  automação é possível otimizar processos e aumentar a eficiência operacional de warehouses. 

Mas, como as empresas estão em relação à gestão automatizada de seus armazéns? Quais são os desafios, as tendências e os sucessos da adoção da tecnologia?

 
Para encontrar a resposta, apresentaremos alguns dados divulgados pela HighJump em uma pesquisa de automação de armazéns, conduzida com mais de 200 profissionais, em mais de 20 indústrias.

Acompanhe a seguir alguns dos itens abordados. Boa leitura!

Importância da automação de armazéns

Sabemos que para muitas indústrias a cadeia de suprimentos sofre com um gap entre a quantidade de profissionais necessários para manter um estoque em plena operação, e o número de pessoal realmente existente para tal. Esse é um dos motivos pelos quais a automação de warehouses é essencial.

Para corroborar o fato, a HighJump descobriu em sua pesquisa que as questões trabalhistas estavam realmente entre os principais motivadores para a automação (de acordo com 68% dos respondentes). A escassez de mão de obra na cadeia de suprimentos pode ser proveniente da redução de custos, mas também da falha de estratégias de retenção de talentos.

O problema é que uma operação penalizada com um número insuficiente de trabalhadores afeta a velocidade da produção e a precisão do estoque. É a automação que consegue suprir essa carência.

Um WMS também foi apontado como ferramenta importante por 22% dos entrevistados. Eles veem a tecnologia como um item essencial para empresas que buscam tornar-se mais eficientes e realizar entregas no mesmo dia.

A pesquisa incluiu ainda entender o prazo para adquirir novas soluções de automação ou atualizar a tecnologia existente. Dos respondentes, 10% desejam fazê-lo em 12 meses, 21% entre 1 e 3 anos, e 8% entre 3 e 5 anos.

Os números têm a ver com algo que sabemos: que um sistema WMS pode ajudar na construção do armazém do futuro e trazer ainda mais resultados se trabalhado em conjunto com automação. Dentre os benefícios, como apresentamos neste post, estão: flexibilidade, facilidade na alocação de recursos, integrações facilitadas, acompanhamento de indicadores e relatórios completos.

Para a logística, os ganhos estão na localização dos produtos em tempo real, no controle de estoque, na rastreabilidade de operações etc. Já que as vantagens são várias e temos cases que comprovam, o que pode estar impedindo empresas de automatizarem seus warehouses?

Obstáculos à implementação da automação

Sessenta e três por cento dos entrevistados apontaram a aprovação orçamentária como a principal barreira. A falta de suporte da liderança foi o motivo citado por quase um terço, o que mostra uma desconexão entre quem está no operacional e o Conselho de Administração.

Para uma resposta ao C-suite, uma das sugestões é apresentar o ROI da automação. Conforme os dados da pesquisa, empresas medem o retorno do investimento da automação da seguinte maneira:

  • 63% - Economias Operacionais
  • 49% - Lucros/Receitas
  • 46% - CPU        
  • 15% - Scorecard do Cliente        
  • 48% - Precisão do Pedido      
  • 3% - Outros Retornos do Investimento (ROI)

 

Como líder na medição do ROI, a economia operacional aborda questões como otimização de mão de obra e otimização de armazéns.

 Fatores para um bom projeto de Automação

Considerando treinamento, suporte de TI e os parceiros de implementação, consultores e fornecedores de Equipamentos de Manuseio de Materiais (MHE), tem-se o que a pesquisa classifica como os principais fatores para o desempenho da automação, sendo que:

  • 54% dos respondentes enumeraram os parceiros de implementação, consultores e fornecedores de MHE como fatores de desempenho importantes  
  • 54% citaram como fundamental o suporte da TI
  • 53% mencionaram também como importante o treinamento


Indo além, os entrevistados foram questionados sobre o que não está funcionando na automação de armazéns.
46% relataram problemas com software/integração. Isso pode ser encontrado porque os Equipamentos de Manuseio de Materiais possuem softwares que auxiliam no seu trabalho, porém não integram e não “conversam” com outros softwares, dificultando a gestão estratégica das operações. 

Para trazer a solução deste problema, 41% também relataram que um WMS foi comprado para apoiar a automação, pois um Sistema de Gestão de Armazéns oferece capacidade para controlar o inventário e a lógica de negócios que impulsiona as pessoas e os processos no centro de distribuição.  

É preciso atentar-se a esse detalhe e procurar por soluções que realizam essas integrações de forma facilitada, para trazer o melhor de cada software e equipamento utilizado no armazém, como o WMS HighJump. A pesquisa exemplifica dizendo que é importante considerar a escolha deste sistema de gerenciamento no início do projeto de automação, para que as soluções trabalhem harmoniosamente e ofereçam uma experiência operacional sem falhas, de forma que o WMS ganha visibilidade granular em status de inventário e ordem em cada fase e processo das operações de um armazém automatizado.

Quer saber mais? Acesse a pesquisa completa